Breves considerações: de Justiniano a Maomé

Desde o século V, apenas o império romano do oriente estava de pé, o império ocidental fragmentara-se em diversos reinos “bárbaros”.  No Ocidente, em 500, o cristianismo era a única religião pública em toda a área do Mediterrâneo; desde então, o centro de poder estava em Constantinopla[1].  O poder permanecia nas cidades, porém, eram os […]

Read more "Breves considerações: de Justiniano a Maomé"

Considerações acerca da crise do mundo antigo: os “bárbaros” e o cristianismo no limiar do medievo

           A passagem da antiguidade para a idade média envolve um significativo grupo de problemas e questões apresentados por diversas correntes da historiografia, as quais, grosso modo, propõem compreender quais teriam sido as relações entre os “bárbaros” e os romanos, a partir do século III, que teriam levado ao nascimento do mundo medieval.  Nessa relação, […]

Read more "Considerações acerca da crise do mundo antigo: os “bárbaros” e o cristianismo no limiar do medievo"

Medievalismo, eleições e os neopentecostais

             A situação vivida em nossas universidades, no contexto eleitoral e pós-eleitoral, convida para uma reflexão sobre o papel de líderes religiosos nesse processo. Devido ao resultado das eleições no último dia 28 de outubro, é fundamental que se analise o discurso de alguns líderes pentecostais e neopentecostais pela defesa da candidatura de Jair […]

Read more "Medievalismo, eleições e os neopentecostais"